16/07/2007



Crônica de uma saudade...

Uma alma pura, que se une ao seu criador , mansamente vai e se entrega . Seus olhos grandes , sua expressão serena, contemplavam a grandeza dos momentos vividos , da
beleza do mar, a areia quente que pisavas com seus pézinhos que mais pareciam dois pãezinhos de tão gordinhos e perfeitos, seu sorriso maroto, sua boca pequena emolduravam sua face que se iluminava e demonstravam a vivacidade de tua pequena idade.

A todos encantava com sua meiguice ... seus cabelos tão fartos e tão pretos , brilhantes e grossos como as noites em que a lua se esconde nos céus a brincar com as estrelas, aos poucos se foram.

Mas tu não reclamavas, não choravas, crescia em meiguice e graça e a todos conseguia tocar a alma e encantava um pôr um.
Quantos exemplos ensinaste para quem pôr ventura ousasse escutá-la ou observá-la no seu dia a dia . Não era preciso muito esforço para aprender e colocar em prática
esse ensinamento o do desapego a tudo que não se queria de ruim na vida de alguém.

Hoje o vento sopra, sussurrando nos ouvidos seu nome, e o sol que aquece nossa face e pôr momentos a ilusão se refaz e você nos visitas.

Sinto -a do meu lado, chamando -me de tia...

Não num lamento, não um desespero ou dor, mas a saudade, o carinho que gratuitamente nos dava.
Em seus últimos momentos não foi ouvido nenhum não , lamento, não quero , foi - se ouvido.

Sofreste como se fosse adulto, mas queria Deus te dar descanso e te dar o paraíso.

Hoje para nós, as lembranças são inúmeras , intensas você esta sempre presente em nossos corações e mentes, nossa doce companhia, nossa querida menina.

Querida filha, irmã, neta , sobrinha, prima , amiga, obrigada pôr tudo , pôr todos os exemplos de vida, de atitude durante o sofrimento e pôr todos seus mimos e carinhos.

Todos nós fomos agraciados pelo amor de Deus, pôr ter tido você
em nossas vidas e agradecer pôr termos sidos teus parentes. Obrigada Senhor Deus pôr termos sido pai e mãe , avô e avó, tios e tias ,primos e primas, pela oportunidade de termos tido um anjo bom em nossas vidas...
... nossa doce Marina Bergamine Motta...

Nina mel

Está crónica minha cunhada fez para minha sobrinha Marina, hoje me lembrei dela, da sua pureza, sua garra e forças.

Um comentário:

Daniel Motta disse...

Saudades do nosso anjinho. Quanta força e serenidade. Saudades...